Mesmo em tem­po de coro­na­ví­rus, a Praticagem da Barra do Rio Grande (RS) con­ti­nua auxi­li­an­do o retor­no de pin­guins ao seu habi­tat. Na últi­ma quar­ta-fei­ra (29/4), cin­co pin­guins-de-Magalhães e um pin­guim-de-pena­cho-ama­re­lo foram devol­vi­dos em mar aber­to com o apoio logís­ti­co das lan­chas da empre­sa.

Os ani­mais foram tra­ta­dos no Centro de Recuperação de Animais Marinhos da Universidade do Rio Grande. Eles foram acha­dos magros, fra­cos ou com tro­ca de penas, entre o Parque Nacional da Lagoa do Peixe e a Barra do Chuí. Após pro­ces­so de recu­pe­ra­ção des­de o fim de 2019, os pin­guins foram libe­ra­dos a três milhas náu­ti­cas da cos­ta, em local que pudes­sem encon­trar outros de sua espé­cie que migram nes­sa épo­ca do ano para o lito­ral.

Tripulantes das lan­chas e bió­lo­gos que par­ti­ci­pa­ram da ope­ra­ção usa­ram Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) con­tra a Covid-19.

O Centro de Recuperação de Animais Marinhos da uni­ver­si­da­de con­ta tam­bém com a par­ce­ria da Superintendência dos Portos do Rio Grande do Sul, de empre­sas e outras ins­ti­tui­ções. O tra­ba­lho de rea­bi­li­ta­ção é desen­vol­vi­do des­de 1974.

 

Fotos: Guga Volks