Há 167 anos, o que era uma asso­ci­a­ção de prá­ti­cos se trans­for­mou na Praticagem de Pernambuco. Naquele 28 de feve­rei­ro de 1854, come­ça­va a nas­cer no Porto do Recife a Zona de Praticagem 9, que assu­mi­ria a con­fi­gu­ra­ção atu­al com o sur­gi­men­to do com­ple­xo por­tuá­rio de Suape, no muni­cí­pio de Ipojuca, a 40 quilô­me­tros dali. Nesta edi­ção, Rumos Práticos mos­tra – na quar­ta repor­ta­gem da série sobre as ZPs bra­si­lei­ras – os prin­ci­pais desa­fi­os enfren­ta­dos no esta­do pela ati­vi­da­de, que hoje coo­pe­ra para a implan­ta­ção de novas ope­ra­ções e para a supe­ra­ção de gar­ga­los de infraestrutura.

Nas pági­nas a seguir, há ain­da uma entre­vis­ta com o juiz da Corte do Mar, vice-almi­ran­te Wilson Pereira de Lima Filho. Presidente do Tribunal Marítimo, ele diz que o cole­gi­a­do, for­ma­do por outros seis juí­zes, pre­ci­sou se adap­tar, assim como outros seto­res, para con­ti­nu­ar jul­gan­do aci­den­tes e fatos da nave­ga­ção duran­te a pan­de­mia. Temas como segu­ran­ça no embar­que e desem­bar­que do prá­ti­co; qua­li­da­de do ser­vi­ço de pra­ti­ca­gem e esca­la de rodí­zio úni­ca; res­pon­sa­bi­li­da­de civil; além de navi­os autô­no­mos foram ava­li­a­dos pelo presidente.

O assun­to navi­os autô­no­mos tam­bém é abor­da­do em arti­go assi­na­do pelo pro­fes­sor Eduardo Tannuri e pelo prá­ti­co Helio Sinohara. Eles fazem uma aná­li­se das tec­no­lo­gi­as que pre­ci­sam ser imple­men­ta­das ou adap­ta­das nos por­tos para que essas embar­ca­ções pos­sam ser rece­bi­das com segu­ran­ça e quão fun­da­men­tal é o papel da pra­ti­ca­gem nes­se pro­ces­so. O tra­ba­lho ampli­a­do foi apre­sen­ta­do pelos auto­res, em janei­ro, na con­fe­rên­cia World of Shipping Portugal.

As tec­no­lo­gi­as, tão ali­a­das da pra­ti­ca­gem na bus­ca por aper­fei­ço­a­men­to, são igual­men­te fun­da­men­tais para que prá­ti­cos de São Francisco do Sul (SC) enca­rem dife­ren­tes cená­ri­os de trei­na­men­to. Por lá, foi ins­ta­la­do des­de dezem­bro um simu­la­dor de mano­bras que per­mi­te aos pro­fis­si­o­nais trei­nar regu­lar­men­te para enfren­tar os desa­fi­os na Zona de Praticagem 18.

Esses avan­ços tec­no­ló­gi­cos eram ini­ma­gi­ná­veis em 1637, quan­do Pedro Teixeira, o des­bra­va­dor da Amazônia, ini­ci­ou uma via­gem pelo Rio Amazonas que dura­ria dois anos, rom­pen­do os limi­tes do Tratado de Tordesilhas. Hoje, qua­se 400 depois, Rumos Práticos con­ta a his­tó­ria do jor­na­lis­ta Olimpio Guarany, que com uma peque­na tri­pu­la­ção deci­diu refa­zer a rota de cer­ca de 5.500 milhas com des­ti­no a Quito, no Equador, a bor­do de um velei­ro. O obje­ti­vo da expe­di­ção é pro­du­zir um docu­men­tá­rio com­pa­ran­do as duas Amazônias sepa­ra­das pelo tempo.

Conheça tam­bém os ven­ce­do­res do I Concurso de Fotografia sobre Praticagem, rea­li­za­do em mar­ço, no Instagram da Praticagem do Brasil. A par­tir des­ta edi­ção, a ver­são em inglês da nos­sa revis­ta esta­rá dis­po­ní­vel somen­te no site.

Boa lei­tu­ra!