Medalha do Mérito Tamandaré

Os prá­ti­cos Marcio Santos Teixeira e Fábio Rodrigues Alves de Abreu rece­be­ram, na sex­ta-fei­ra (11/12), na sede do coman­do do 8º Distrito Naval, em São Paulo, a Medalha Mérito Tamandaré. As con­de­co­ra­ções foram entre­gues pelo coman­dan­te do Distrito Naval, vice-almi­ran­te Sérgio Fernando do Amaral Chaves Júnior, em cerimô­nia pri­va­da, devi­do à pan­de­mia da Covid-19.

O reco­nhe­ci­men­to foi pela bra­vu­ra e pelo pro­fis­si­o­na­lis­mo demons­tra­do na ação que evi­tou um gra­ve aci­den­te com dois petro­lei­ros car­re­ga­dos. As embar­ca­ções fica­ram à deri­va na for­te tem­pes­ta­de que atin­giu São Sebastião (SP), em 28 de abril de 2019. Em outu­bro, os prá­ti­cos já havi­am rece­bi­do o Prêmio IMO por Bravura Excepcional no Mar, con­si­de­ra­do o mais impor­tan­te da comu­ni­da­de marí­ti­ma inter­na­ci­o­nal, que será entre­gue em Londres. 

A Medalha Mérito Tamandaré foi cri­a­da em 1957 e é des­ti­na­da a home­na­ge­ar auto­ri­da­des, ins­ti­tui­ções e pes­so­as civis ou mili­ta­res que tenham pres­ta­do rele­van­tes ser­vi­ços no sen­ti­do de divul­gar ou for­ta­le­cer as tra­di­ções da Marinha, hon­ran­do seus fei­tos ou real­çan­do seus vul­tos históricos. 

O pre­si­den­te da Praticagem de São Paulo, Carlos Alberto de Souza Filho, des­ta­cou a impor­tân­cia de mais essa homenagem: 

– Ficamos mui­to orgu­lho­sos com a con­de­co­ra­ção, um reco­nhe­ci­men­to da Marinha à impor­tân­cia da ati­tu­de des­ses dois prá­ti­cos.  Eles repre­sen­tam a nos­sa men­ta­li­da­de no dia a dia do tra­ba­lho: bus­car sem­pre con­tri­buir para a segu­ran­ça do trá­fe­go aquá­rio, a sal­va­guar­da da vida huma­na no mar e a pre­ser­va­ção do meio ambi­en­te mari­nho. Ao con­de­co­rá-los, a Marinha expres­sa o seu reco­nhe­ci­men­to pela atu­a­ção deles em con­di­ções extre­ma­men­te adver­sas, com o ris­co da pró­pria vida, demons­tran­do bra­vu­ra e profissionalismo. 

Para o prá­ti­co Marcio Teixeira, foi uma gran­de hon­ra rece­ber a Medalha Tamandaré: 

– Sinto-me mui­to gra­to e orgu­lho­so. É uma enor­me res­pon­sa­bi­li­da­de osten­tar a con­de­co­ra­ção que car­re­ga o nome do patro­no da Marinha do Brasil. Farei sem­pre o pos­sí­vel e o impos­sí­vel para estar à altu­ra de tudo o que ela representa.

No dia 28 de abril de 2019, Marcio e Fábio fun­de­a­ram dois petro­lei­ros car­re­ga­dos que esta­vam em ope­ra­ção de trans­fe­rên­cia de óleo e fica­ram à deri­va no canal de São Sebastião, conec­ta­dos pelos man­go­tes de óleo. Durante qua­se seis horas, eles enfren­ta­ram chu­va e uma tem­pes­ta­de com raja­das de até 70 nós (130km/h) e ondas que che­ga­ram a dois metros. A ação evi­tou mor­tes, danos às estru­tu­ras de cais e ins­ta­la­ções de petró­leo, além de um gran­de aci­den­te eco­ló­gi­co com der­ra­ma­men­to do óleo acon­di­ci­o­na­do nos navios.