Na noi­te de quin­ta-fei­ra (30/1), a Praticagem do Rio de Janeiro impe­diu um gra­ve aci­den­te na cos­ta de Niterói com a gigan­te pla­ta­for­ma P‑70 da Petrobras, de 78 mil tone­la­das.

Após ser reti­ra­da do navio no qual veio embar­ca­da da China para ope­rar no pré-sal, a uni­da­de foi des­lo­ca­da para a área de fun­deio, no Gragoatá. À noi­te, quan­do fina­li­za­va-se a sua amar­ra­ção num qua­dro de ânco­ras, ven­tos de cer­ca de 40 nós e uma for­te chu­va atin­gi­ram a Baía de Guanabara. Imediatamente, o Prático a bor­do inter­rom­peu o pro­ces­so de cone­xão em anda­men­to, para a segu­ran­ça dos envol­vi­dos. Porém, logo em segui­da, duas amar­ras que já esta­vam conec­ta­das se rom­pe­ram devi­do às con­di­ções mete­o­ro­ló­gi­cas.

O Prático, então, agiu rapi­da­men­te e uti­li­zou os qua­tro rebo­ca­do­res dis­po­ní­veis naque­le momen­to para evi­tar um cho­que con­tra a cos­ta, já que a pla­ta­for­ma não tem pro­pul­são. Ao mes­mo tem­po, aci­o­nou os demais mei­os dis­po­ní­veis para auxi­li­ar no repo­si­ci­o­na­men­to da P‑70 na área de fun­deio pre­vis­ta, o que ocor­reu na mes­ma noi­te em segu­ran­ça.

O pro­ces­so de cone­xão teve que ser rei­ni­ci­a­do, mas ain­da não havia ter­mi­na­do até as 16h des­ta sex­ta-fei­ra (31/1). Os Práticos con­ti­nu­am se reve­zan­do a bor­do da P‑70.

Em 2019, na tem­pes­ta­de que hou­ve em São Sebastião (SP), os cabos de dois petro­lei­ros que esta­vam atra­ca­dos a con­tra­bor­do tam­bém se rom­pe­ram e dois Práticos foram cha­ma­dos em emer­gên­cia para subir nas embar­ca­ções à deri­va e impe­dir um aci­den­te.