Na noi­te de domin­go (9/2), a Praticagem do Rio de Janeiro teve que con­tro­lar mais uma situ­a­ção de emer­gên­cia após ava­ria em um petro­lei­ro car­re­ga­do, com 16,3 metros de cala­do.

Às 22h50m, o navio Zumbi dos Palmares sofreu um apa­gão quan­do nave­ga­va a cin­co nós de velo­ci­da­de em dire­ção ao ter­mi­nal aqua­viá­rio da Petrobras – Almirante Maximiano da Fonseca (Tebig), na Baía de Ilha Grande, em Angra dos Reis.

O pro­ble­ma ocor­reu, após a Ilha de Itacuatiba, no motor auxi­li­ar, que é uti­li­za­do como um gera­dor que garan­te a ele­tri­ci­da­de em todo o navio.

Imediatamente, o Prático deter­mi­nou que três rebo­ca­do­res que davam supor­te à fai­na puxas­sem para ré, enquan­to um quar­to con­tro­la­va o rumo da embar­ca­ção da Transpetro, evi­tan­do que des­go­ver­nas­se para cima dos peri­gos em ambos os bor­dos.

Assim que parou, o navio foi fun­de­a­do, às 23h05m, com os qua­tro rebo­ca­do­res à sua vol­ta e um quin­to de pron­ti­dão. A atra­ca­ção no ter­mi­nal só foi pos­sí­vel às 6h15m des­ta segun­da-fei­ra (10/2).