Em live sobre o aci­den­te ocor­ri­do, em feve­rei­ro, com o navio Stellar Banner, no Maranhão, o advo­ga­do Osvaldo Agripino de Castro Jr. – dou­tor em Direito e ex-ofi­ci­al da Marinha Mercante – des­ta­cou a impor­tân­cia da pra­ti­ca­gem na pre­ven­ção de sinis­tros. O even­to foi orga­ni­za­do pelo pro­gra­ma de mes­tra­do e dou­to­ra­do em Ciência Jurídica da Universidade do Vale do Itajaí (SC).

Agripino con­ver­sou com o ex-dire­tor-geral da Marinha Mercante do Paraguai e inves­ti­ga­dor de aci­den­tes e sinis­tros marí­ti­mos pela Organização Marítima Internacional (IMO), Oscar Benito Cortessi, que fez uma aná­li­se sobre o aci­den­te. A embar­ca­ção nave­ga­va em área de pra­ti­ca­gem facul­ta­ti­va e saiu do canal em tre­cho com pro­fun­di­da­de infe­ri­or ao seu cala­do.

– Se esti­ves­se com prá­ti­co (a bor­do), com cer­te­za não teria acon­te­ci­do isso. Temos uma fun­ção de extre­ma rele­vân­cia que é ati­vi­da­de da pra­ti­ca­gem, que é aque­le pro­fis­si­o­nal (o prá­ti­co) que conhe­ce mais sobre a pro­ble­má­ti­ca e o canal naque­la região. (…) Quando eu via­ja­va em linhas do Japão, dos Estados Unidos e da Europa, em qual­quer lugar do mun­do onde você che­ga­va num por­to e o prá­ti­co no pas­sa­di­ço, eu e o coman­dan­te ficá­va­mos com sor­ri­so lar­go no ros­to. (…) O prá­ti­co é aque­le anjo que che­ga ali para dar paz e segu­ran­ça para a nave­ga­ção – res­sal­tou Agripino, que foi visi­ting scho­lar na Escola de Direito da Universidade de Stanford e seni­or fel­low do Centro de Negócios e Administração Pública Mossavar-Rahmani, da Universidade de Harvard.

Para o advo­ga­do, o Brasil tem os melho­res pro­fis­si­o­nais de pra­ti­ca­gem e está entre os cin­co meno­res índi­ces de sinis­tros na nave­ga­ção no mun­do: 

– O silên­cio é o melhor sinal de que esta­mos ten­do um bom ser­vi­ço.

Ele lem­brou ain­da que a ati­vi­da­de no país inves­te for­te­men­te em recur­sos que aumen­tam a segu­ran­ça no trá­fe­go nos mares e rios. Entre eles, citou a aqui­si­ção de maré­gra­fos, a rea­li­za­ção de bati­me­tria cons­tan­te e a moder­ni­za­ção de cen­tros ope­ra­ci­o­nais (ata­lai­as). Por fim, defen­deu a inde­pen­dên­cia fun­ci­o­nal da pra­ti­ca­gem no Brasil, que garan­te sem­pre a toma­da de deci­sões téc­ni­cas, com foco na pre­ven­ção de aci­den­tes. 

Assista a live com­ple­ta em: https://youtu.be/TCWav_r1KnM

Crédito da foto do navio: Marinha do Brasil