Encerrada no dia 22, o Brasil mais do que dobrou a sua par­ti­ci­pa­ção na pes­qui­sa anu­al da Associação Internacional de Práticos Marítimos (IMPA). Durante o levan­ta­men­to, prá­ti­cos do mun­do intei­ro rela­tam as con­di­ções que se encon­tram os dis­po­si­ti­vos de aces­so aos navi­os. De acor­do com a pes­qui­sa do ano pas­sa­do, um em cada oito está ins­ta­la­do incor­re­ta­men­te ou mal­con­ser­va­do, pon­do em ris­co a vida do prá­ti­co no embar­que e desembarque. 

Este ano, os bra­si­lei­ros envi­a­ram 2.906 rela­tó­ri­os à IMPA, qua­se a meta­de do total envi­a­do no mun­do. Em 2019, foram 1.155 par­ti­ci­pa­ções do Brasil. Escada de que­bra-pei­to e esca­da de que­bra-pei­to com­bi­na­da com esca­da de por­ta­ló são os prin­ci­pais mei­os de trans­fe­rên­cia da lan­cha de prá­ti­co para o navio e devem estar ins­ta­la­das em acor­do com a Resolução A.1045 da IMO (Organização Marítima Internacional).

– A par­ti­ci­pa­ção supe­rou em mui­to os anos ante­ri­o­res, com mais de seis mil res­pos­tas rece­bi­das. Os resul­ta­dos serão ago­ra apu­ra­dos e ana­li­sa­dos, sen­do o rela­tó­rio anu­al publi­ca­do opor­tu­na­men­te – comu­ni­cou o secre­tá­rio-geral da IMPA, Nick Cutmore.

Para o dire­tor téc­ni­co do Conselho Nacional de Praticagem (Conapra), Bruno Fonseca, a par­ti­ci­pa­ção expres­si­va dos bra­si­lei­ros demons­tra toda a pre­o­cu­pa­ção com um tema fun­da­men­tal a todos: 

– Que as não con­for­mi­da­des apon­ta­das sir­vam de aler­ta e sen­si­bi­li­zem as auto­ri­da­des com­pe­ten­tes e os armadores.

pesquisa-impa