Participação Humanitária: uma marca da Praticagem

A agilidade e espírito público dos profissionais de Praticagem foram mais uma vez colocados à prova no último domingo (27/03). Às 12h50 uma lancha do serviço de Santos se preparava para executar manobras de saída quando os práticos se depararam com um carro que estava afundando do lado da balsa da DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S.A.

Sem titubear, mestre Luiz, que conduzia a lancha, rumou em direção ao carro para possibilitar que os práticos Luz e Spomberg e a praticante Priscila pudessem resgatar as vítimas. A motorista, de 69 anos, estava com um cão no interior do veículo quando o automóvel caiu no mar, mas graças à agilidade práticos ambos saíram ilesos do acidente.

“Uma marca da Praticagem é a participação humanitária de salvamento. Nosso trabalho diuturno nos permite estarmos atentos a situações de emergência”, disse o assessor executivo da Praticagem de Santos, Jorge Marcos Matusevicius.

Para ele, a exclamação de uma senhora quando viu a lancha da Praticagem chegar para executar o salvamento diz tudo. “Calma, tudo está sob controle, a Praticagem chegou”, teria dito uma das passageiras da embarcação da Dersa.

Em nota, a Dersa, empresa responsável pela travessia de balsas, afirmou que o veículo já estava estacionado em uma das embarcações, quando a motorista acelerou, perdeu o controle e caiu com o veículo no mar. Ainda segundo a empresa, os funcionários da balsa prestaram socorro à motorista e ao cão.

Assista o vídeo no canal do conapra no You Tube

Fenapráticos: uma realidade

otavio-fragoso

O fortalecimento da categoria dos práticos consolida-se com a concessão pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social, do registro de funcionamento da Federação Nacional dos Práticos (Fenapraticos). A boa notícia foi publicada no Diário Oficial da União do dia 17 último. Para o presidente da entidade, Otávio Fragoso, o registro consagrou a Federação com ainda mais legitimidade e este se comprometeu em fazer com que a Fenapraticos  continue ocupando  todos os espaços possíveis na relação entre os sindicatos e os poderes constituídos da República, sempre na defesa dos interesses laborais dos práticos.

“Seremos o ponto de interseção entre os sindicatos, o executivo federal, o judiciário e o parlamento”, disse Fragoso.

Ele explicou que, na esfera privada, a Fenapraticos continuará seguindo a mesma linha de negociação local de acordos entre sindicatos dos práticos e os sindicatos das Agências de Navegação Marítima.  Neste diapasão, a Fenapraticos já celebrou memorando de entendimento com a Federação Nacional das Agências de Navegação Marítima (Fenamar), na presença do diretor de Portos e Costas, em julho de 2014. As ações reforçam procedimento consolidado desde 1961, em que as praticagens celebram acordos comerciais com as agências de navegação, constituindo estas os reais mandatários legais dos armadores em cada porto.

A Fenapráticos foi criada para coordenar e defender os interesses da categoria profissional dos Práticos, tendo como base a defesa de suas necessidades econômicas, profissionais e sociais; também exerce um papel de órgão técnico e consultivo colaborando com o Estado brasileiro, no estudo e na solução de problemas da categoria profissional dos práticos.

Compete à Fenapraticos celebrar Convenções, Acordos e Contratos Coletivos de Trabalho ou suscitar Dissídios Coletivos, de interesse da categoria, desde que por ela autorizada, bem como, ingressar com Ação Civil Pública, Ação Direta de Inconstitucionalidade ou demais pretensões judiciais.

É grande o leque de atuação da Fenapraticos: é facultado à entidade, dentre outras ações, prestar serviços de assessorias e consultorias técnicas e jurídicas no interesse dos sindicatos filiados e de todos os profissionais por ela representados; promover reuniões, encontros, cursos, seminários, convenções, congressos; promover a criação de cooperativas de consumo e de crédito.

O presidente da Fenapraticos, o Prático Otávio Augusto Fragoso Alves da Silva, atua há mais de 30 anos da Zona de Praticagem do estado do Rio de Janeiro, é ex-Presidente do Conselho Nacional de Praticagem-CONAPRA e ex-Vice-Presidente da International Maritime Pilot’s Association – IMPA.

Visita do Presidente da ATP e Diretor Técnico-Comercial da EMGEPRON à Praticagem de São Paulo

 

A alta tecnologia utilizada pela Praticagem de São Paulo para apoio às manobras de navios no porto de Santos impressionou os Almirantes Rodrigo Otávio Fonseca de Moraes e Murillo Barbosa, que visitaram a empresa em fevereiro.

“Estou impressionado com a tecnologia da Praticagem e com a eficiência muito grande do trabalho aqui desenvolvido que se refletem na eficácia maior das manobras e segurança embarcada”, comentou o Almirante Murillo Barbosa, Presidente da Associação de Terminais  Portuários Privados (ATP). No livro de visitas, ele deixou gravada a frase: “muita tecnologia aliada ao profissionalismo elevado garantem a eficiência do serviço. Parabéns”.

” Parabéns pela competência, seriedade e pela forma como as coisas acontecem na Praticagem”, escreveu o almirante Rodrigo Otávio, Diretor Técnico-Comercial da EMGEPRON (Empresa Gerencial de Projetos Navais) no livro de visitas. Leia mais

Mais uma vida salva pela Praticagem

Resgate de pescador só foi possível porque serviço de Praticagem do porto de Rio Grande funciona 24 horas por dia, sete dias por semana durante todos os dias do ano, em apoio à Autoridade Marítima.

Na última quinta-feira, 25 de fevereiro, um chamado da Autoridade Marítima pelo rádio, colocou em alerta a Zona de Praticagem da Barra do Rio Grande (ZP-19). O chamado, que aconteceu às 9h10 da manhã era um pedido de socorro para o barco de pescadores, Carlos Àvila I, que estava com um tripulante gravemente ferido.

Dez minutos depois, a lancha da Praticagem, tendo a bordo tripulantes treinados em salvamento, partiu em direção ao barco Carlos Ávila I que se encontrava a 25 quilômetros de distância (15 milhas náuticas) da costa. Rapidamente o acidentado recebeu os primeiros cuidados ainda no barco de pesca, foi imobilizado, e em menos de meia hora já estava na Atalaia (base das empresas de Praticagem). Em seguida, foi colocado numa ambulância e encaminhado para a Santa Casa de Rio Grande.

Tinha pouca chance de sobrevivência não fosse a agilidade e rapidez com que recebeu o socorro da praticagem. “Autoridade Marítima recorreu à Praticagem porque tem a certeza de que o serviço funciona 24h por dia, sete dias na semana, em todos os dias do ano. Além disso, possui equipamento e pessoal qualificado para realização desse tipo de resgate”, disse o presidente do Conselho Nacional de Praticagem (Conapra), Gustavo Martins.

A lancha usada na operação possui todos os equipamentos necessários para a realização de salvamentos e primeiros socorros. Desde luvas e equipamentos médicos até o sistema automático de identificação de embarcações (AIS), usado para localizar navios distantes da costa, e que que não podem ser vistos a olho nú. “Essa lancha alcança vinte e seis nós em velocidade máxima”, informou o comandante Pedro Luppi, secretário executivo da ZP 19.

Leia mais