Praticagem faz doações de 150 coletes salva-vidas no Amapá e Pará

O colete salva-vidas é um item de segurança da navegação obrigatório a todos, em qualquer tipo de embarcação. Mas, vivendo em uma realidade de dificuldades junto aos rios do Amazonas, agravada pela crise econômica, ribeirinhos que fazem uso de embarcações menores para conseguir o seu sustento não têm condições de comprá-lo.

A Marinha do Brasil realiza diversas ações sociais na região, entre elas a doação de coletes com apoio de empresas como a da Praticagem, que tem como missão a salvaguarda da vida humana, a segurança do tráfego aquaviário e a prevenção à poluição hídrica.

O Grupo Bacia Amazônica Práticos (BAP)  fez este ano duas doações de coletes para os ribeirinhos, por meio da Marinha. O BAP é uma das entidades de Praticagem da maior Zona de Praticagem do mundo (ZP-01 – Praticagem do Amapá), que se estende por três estados: de Fazendinha (AP) pelo interior do Amazonas até Itacoatiara (AM). 

A última entrega, de 100 coletes, foi feita na cidade de Santana, para a Capitania dos Portos do Amapá, que realiza a distribuição durante as abordagens de fiscalização. Na aquisição anterior, foram doados outros 50 coletes para a Capitania Fluvial de Santarém (PA). A Autoridade Marítima promove ainda ações de orientação à população sobre o uso do correto equipamento, outro problema.

O presidente do Grupo BAP, Adonis dos Santos Passos Júnior, lembra que a Praticagem do Brasil colabora também com o seu dever regulamentar de auxiliar sempre nas ações de busca e salvamento na região.

– No Amapá, temos duas lanchas que fazem o embarque e desembarque de Práticos, mas que também imediatamente prestam socorro quando somos acionados no caso de naufrágios e barcos à deriva – disse na cerimônia da última entrega, neste mês de outubro.