Resultados da parceria Praticagem-USP são apresentados na PIANC

Os resultados do convênio do Conselho Nacional de Praticagem (Conapra) com o laboratório Tanque de Provas Numérico da USP (TPN-USP) foram apresentados no 34º Congresso da PIANC (Associação Mundial de Infraestrutura de Transporte Marítimo), evento que aconteceu na Cidade do Panamá, de 7 a 11 de maio de 2018.

O professor Eduardo Tannuri, coordenador do Centro de Simulações do laboratório, apresentou o trabalho, escrito em coautoria com o prático Gustavo Martins, diretor-presidente do Conapra. Ele destacou o modelo matemático utilizado no software dos simuladores (SMH) e os ajustes finos feitos para torná-lo preciso e fiel à realidade, graças à contribuição do conhecimento da Praticagem na manobra e no comportamento de navios nas águas onde atua.

De 2012 a 2017, foram realizadas 94 simulações de manobras de embarcações com a participação de 140 práticos de diferentes Zonas de Praticagem. Os estudos atenderam a diferentes propósitos, como avaliação de canais de navegação e bacias em projetos de novos portos e terminais; novas operações em portos existentes, como as Ship to Ship; e compatibilidade de navios de grandes dimensões em canais e bacias.

Três estudos de caso foram detalhados durante a exposição no Congresso. O primeiro analisou e confirmou a possibilidade do acesso de contêineros maiores (de até 366m) no Porto de Santos, sob determinadas condições ambientais e limites operacionais. Para não perderem participação de mercado, outros portos brasileiros acabaram fazendo o mesmo estudo com o TPN-USP. O segundo estudo avaliou a viabilidade das operações de transferência de óleo entre navios (Ship to Ship) em nove portos e terminais, recurso que vem sendo cada vez mais utilizado após o aumento da produção e a lacuna de berços e terminais disponíveis. Já o terceiro fez simulações para avaliação de novos projetos portuários  (como portos, terminais, berços e expansões) sob diferentes aspectos. – Por meio desse balanço da parceria, conseguimos mostrar a importância do feedback dos práticos nas simulações e no estudo para implantação de novos portos e operações. Só assim é possível incorporar nas análises fatores humanos e particularidades locais que eles conhecem – diz o professor Tannuri.

Acesso para o paper na íntegra em: https://www.conference-service.com/pianc-panama/documents/agenda/data/full_papers/full_paper_113.pdf