Diretor de Portos e Costas prestigia primeiro workshop para práticos latino-americanos

I Workshop Latino-Americano para capacitação de práticos da região foi prestigiado pelo diretor de Portos e Costas da Marinha do Brasil, almirante Lima Filho. Ele fez uma palestra à primeira turma da praticagem estrangeira, na quarta-feira (7/3), no Centro do Rio de Janeiro. Nela, abordou as competências de sua diretoria, a relação com o serviço de praticagem e aspectos gerais do Curso de Atualização para Práticos (ATPR), coordenado desde 2005 pelo Conapra, por delegação da Autoridade Marítima, e principal motivação do workshop.

– O Conselho Nacional de Praticagem sempre busca realizar uma série de ações que contribuem para a segurança da navegação. Essa oportunidade de estarmos juntos, com práticos de outros países, é bastante importante para troca de experiências, conhecimentos e para que eles levem alguns ensinamentos, de forma que tenhamos em toda América Latina portos e mares cada vez mais seguros e limpos – disse o almirante, que destacou o excelente nível de segurança nas mais de 66 mil manobras realizadas no Brasil em 2017.

O diretor-presidente do Conapra, prático Gustavo Martins, lembrou que a ideia do workshop surgiu no ano passado, durante o IX Fórum Latino-Americano de Práticos, em Buenos Aires:

– O fórum acontece a cada dois anos, mas são muitos temas de interesse comum para debater. No último evento, percebeu-se a necessidade de discutir um programa de capacitação dos práticos tendo como modelo o curso brasileiro ATPR, que atende aos requisitos resolução A-960 da IMO (Organização Marítima Internacional). Então, atendendo ao pedido dos colegas estrangeiros, organizamos esse workshop, para que conhecessem como funciona o nosso curso e tivessem condições de implantar programa similar em seus países ou de buscar um convênio com a Marinha do Brasil, responsável pelo ATPR que nós coordenamos.

Além das palestras sobre a implantação do ATPR, durante uma semana os práticos tiveram oportunidade de assistir a exposições de assuntos relevantes para a atividade, apresentações de estudos de caso e de participar de simulações.

O diretor técnico do Conapra, prático Porthos Lima, foi responsável pelo workshop com o gerente técnico, Raimundo Nascimento. Porthos, que palestrou sobre o curso ATPR no evento de Buenos Aires, dessa vez apresentou ainda o investimento geral feito em capacitação, que engloba também os operadores de atalaia (estação operacional da praticagem) e a tripulação das lanchas que fazem o embarque e o desembarque de práticos nos navios.

Os operadores ganharam o Curso de Conhecimento Náuticos, que formou três turmas em 2017 e tem previsão de mais oito este ano. Já os mestres e marinheiros das lanchas terão acesso a um vídeo de segurança produzido especialmente para que relembrem cuidados nas operações de transferência de práticos. O material foi exibido aos práticos latino-americanos.

Na quinta-feira (8/3), eles visitaram o Conapra e a Praticagem do Rio de Janeiro. Conheceram o trabalho institucional do Conselho na defesa do modelo de praticagem brasileiro e da valorização do prático como o melhor especialista em segurança nas águas onde opera. Na Praticagem, assistiram a uma palestra do gerente de operações, Sérgio Soares, sobre as áreas de atuação no Rio e estiveram na atalaia.

O evento foi encerrado nesta sexta (9/3), quando participaram de exercícios com os alunos da turma 1/2018 do ATPR, no Centro de Instrução Almirante Graça Aranha (Ciaga) da Marinha. 

O prático uruguaio Orlando Herbon aprovou o primeiro encontro. Representantes de Argentina, Peru e Panamá também estiveram presentes. – Sem dúvida o conteúdo foi muito interessante. O prático é parte de uma grande engrenagem, que envolve o navio, a tripulação, os rebocadores… Para que funcione o motor, todos têm que estar em sua posição. A nossa parte se faz cada vez mais segura e eficiente. Prestamos um serviço muito importante para o comércio exterior dos países.

Durante o workshop, os práticos prestaram homenagem a Miguel Ângelo Periquito Conceição, colega português falecido em acidente em 28 de fevereiro, após cair de uma escada de quebra-peito.