EMPA 2019: Diretor do Conapra diz que App No Rumo Certo está disponível para integração mundial

O Diretor Técnico do Conapra, Prático Porthos Lima, participou, mais uma vez, do Encontro Geral da EMPA (European Maritime Pilots Association), em Liverpool, e expôs os avanços do aplicativo No Rumo Certo. Por meio dele, Práticos brasileiros podem relatar, durante o ano inteiro, problemas encontrados nos arranjos de embarque e desembarque das embarcações, e não apenas no período da pesquisa da campanha de segurança da IMPA (Associação Internacional de Práticos Marítimos). O Diretor disse que a tecnologia está aberta a todos, pois a intenção é que seja utilizada e integrada mundialmente, em prol da segurança profissional:

– O aplicativo permite futuros desenvolvimentos. E uma das possibilidades é que tenhamos um compartilhamento das informações em todo o mundo, de forma que um Prático em Cingapura, por exemplo, saiba de antemão se o navio que vai manobrar apresentou problemas no porto de origem.

Segundo Porthos Lima, a receptividade à proposta do Brasil foi excelente:

– Após a palestra, recebi várias perguntas e delegados de diferentes países me procuraram interessados no uso da ferramenta, entre eles de Alemanha, Irlanda, França e Portugal. Todos ficaram bem impressionados com o empreendedorismo da iniciativa, mas, principalmente, com a nossa disposição em franqueá-la às demais nações.

No Rumo Certo é fundamental para a segurança do Prático no momento mais perigoso da atividade, que é a operação de transferência da lancha de Praticagem para o navio. Um em cada oito arranjos no mundo ainda traz irregularidades, segundo a pesquisa da IMPA em 2018. Escada de quebra-peito e escada de quebra-peito combinada com escada de portaló são os principais meios de embarque e desembarque e devem estar conservadas e instaladas em acordo com a Convenção Internacional para a Salvaguarda da Vida Humana no Mar (SOLAS).

A ideia do aplicativo surgiu a partir da campanha da IMPA em 2017, com o intuito de que todos os Práticos fossem informados assim que um colega detectasse não conformidades em seu embarque ou desembarque. Após testes iniciais na Praticagem do Rio de Janeiro, o App foi disponibilizado para os 633 Práticos distribuídos nas 22 Zonas de Praticagem do país.

Como funciona

Graças a uma integração com o software utilizado pela maioria das entidades de Praticagem para organizar a programação de manobras, cada vez que um Prático é designado para o serviço um protocolo é enviado para o App, criando um relatório para ser preenchido. O documento já traz informações básicas de data, porto, nome do navio, tipo, bandeira e numeração IMO (Organização Marítima Internacional). O Prático deve completar com destino; borda livre da embarcação; tipo de arranjo; e se há deficiências com o arranjo, sistemas de navegação e rebocadores. Ele pode adicionar imagens, observações extras e enviar o relatório, em seguida, com cópia para as autoridades competentes cadastradas em cada ZP.

Além disso, se uma irregularidade é relatada, uma mensagem automática é enviada para o centro operacional da Praticagem para onde o navio se dirige. Dessa forma, o próximo Prático a manobrá-lo será alertado com ainda mais antecedência. O navio com problema é incluído numa lista e fica em destaque no sistema para alertar que tem alguma deficiência. Se, posteriormente, um Prático informar que a irregularidade foi corrigida, a embarcação deixa a lista, mas o histórico de ocorrências é mantido.

Mesmo em ZPs que não contam com o software integrado, o App está acessível. A única diferença é que as informações básicas não virão preenchidas automaticamente.

– O sucesso depende da colaboração de todos nós Práticos. Na campanha da IMPA 2018, já tivemos 771 dos 1.053 relatórios enviados por meio do aplicativo – contou Porthos Lima aos colegas da Europa.

No ano passado, o Diretor apresentou, no Encontro da EMPA, o Curso de Atualização para Práticos (ATPR) brasileiro, coordenado pelo Conapra por delegação da Autoridade Marítima e referência na América Latina.

O 53º EMPA Meeting ocorreu em Liverpool com a presença de cerca de 200 Práticos de toda a Europa, que debateram temas como segurança no embarque e desembarque do Prático, novas tecnologias aplicadas à Praticagem e a importância do fator humano na atividade.