Entidade de Praticagem da Bacia Amazônica discute desafios da região e entrega nova lancha

A responsabilidade do trabalho do Prático para a sociedade requer que ele realize um número mensal de fainas de Praticagem para manutenção da experiência, além do Curso de Atualização para Práticos (ATPR), obrigatório a cada cinco anos. Porém, dada a complexidade da atividade para a segurança da navegação e dos desafios de cada região, as Praticagens estão sempre investindo para ampliar o conhecimento e melhorar a estrutura do serviço.

Foi o que aconteceu na última sexta-feira (10/5), quando o Grupo Bacia Amazônica Práticos (BAP) promoveu o seminário “Desenvolvimento da Bacia Amazônica – Avanços e Desafios da Praticagem”. Na ocasião, foi entregue mais uma lancha de Praticagem, a BAP Santarém, nome da cidade que recebeu o evento.

O BAP é uma das entidades que atuam na maior Zona de Praticagem do mundo (ZP-01), que se estende por 1.300 milhas náuticas nos estados do Amapá, Pará e Amazonas. A navegação nas hidrovias da região é adversa, devido às constantes mudanças nos bancos de areia dos rios, dificuldade que exige ainda mais atenção com o aumento da demanda dos navios aos portos.

– Estamos percebendo o crescimento de Santarém. E há uma expectativa grande, com a conclusão da BR-163, que aumente muito o escoamento de grãos por aqui – disse o Prático Adonis dos Santos Passos Júnior, Diretor-Presidente do Grupo BAP e um dos palestrantes.

O professor Jean Carlos Leitão falou sobre “Geografia Econômica e o Potencial Portuário do Oeste do Pará”. Prestigiaram o encontro o prefeito do município, Nélio Aguiar, e os deputados federais Ossesio Silva (PE), Vavá Martins (PA) e Vinicius Carvalho (SP).

Após o seminário, foi inaugurada a nova lancha da Praticagem, que vai proporcionar mais segurança no embarque e desembarque de Práticos nas embarcações. Com 11,70m de comprimento e capacidade para seis pessoas, a BAP Santarém tem mais estabilidade, desempenho e autonomia. Confira no vídeo.